Follow by Email

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

BOA SEMANA!

"UM SONHO SONHADO SOZINHO NÃO PASSA DE UM SONHO.
UM SONHO SONHADO EM CONJUNTO É UMA REALIDADE"
J. Lennon

"A MELHOR MANEIRA DE FAZER A DIFERENÇA É FAZER AQUILO QUE FAZEMOS MELHOR"



Como professora vivo rodeada de jovens. Há dias bons e dias menos bons. Há momentos difíceis e frustrantes, mas em 26 anos de serviço – por entre muitos desabafos e muitas queixas – (sou humana), nunca pensei em exercer outra actividade.
Há uns meses recebi na minha aula um grupo de jovens com um projecto aliciante (AQUI). A ideia, adjectivada de “simples” por eles, é, afinal, imensa e linda e contagiante.
Fez-me sentir orgulho destes jovens e de tantos outros que tenho conhecido. Fez-me sentir também uma espécie de “Transformer” no meu dia a dia. Qual o meu super poder? Gostar de ser professora e de o partilhar com alunos e colegas e de me poder considerar, como um dos mentores do projecto diz neste programa, mais uma “ uma pequena gota” nesta sociedade onde, decerto, posso fazer a diferença, mesmo que o oceano não possa ser abarcado na sua totalidade pelo olhar, mesmo que dar aulas seja um trabalho em relação ao qual não se vêem imediatamente os resultados.
Alexandra Pelágio

6 comentários:

  1. Cada um de nós pode ser um transformer...seja jovem, adulto, senior; cada um de nós tem um talento que pode e deve transmitir aos outros.. " Geração à rasca...Geração rasca...geração fantástica" Todos nós em algum momento já fomos e somos isso. Quem já não esteve " à rasca"? Foi " rasca"? Foi " fantástico"? Todos! Quando chegamos à idade adulta ou senior, temos a tendência a esquecermo-nos de que já fomos jovens e como eles, errámos, acertámos, tivemos atitudes corretas e outras até muito insensatas. Continuamos a tê-las apesar da idade, apesar da experiência que os anos nos dão; às vezes parece até que não aprendemos nada com esses anos que temos a mais. Acredito demais nos jovens e vejo-os por aí a fazerem coisas que me surpreendem pela positiva.Tenho 2 jovens adultos em casa e orgulho-me muito deles como cidadãos responsáveis. Há muitas mães por esse mundo afora a orgulharem-se dos seus jovens. Parabéns pelo tema! Muito pertinente, numa época em que toda a gente se lembrou de colocar a culpa de tudo na nossa juventude, Esquecem-se de que, se há algo de errado neles, a culpa é dos adultos que os criaram. Beijinhos e uma boa semana
    Emília

    ResponderExcluir
  2. Alexandra, deve ser tão bom ser professora de super-heróis!
    E sim, o seu (pode ser "teu"?) super-poder é muito bom mas, infelizmente, não lhe é dado o valor devido.

    Quanto aos jovens: são eles a minha fonte de esperança, não os jovens adultos já cheios de "vícios" e os da minha geração para cima que se acomodam e deixam andar...

    Que surjam cada vez mais super-heróis!
    E parabéns por ser(es) uma daquelas professoras que ainda mantém a alegria de o ser! ;-)

    ResponderExcluir
  3. Emília: Tem razão. Deveríamos ter a honestidade de assumir que TODOS já fomos uma geração rasca, à rasca e fantástica e ainda hoje o somos. Rasca quando nos esquecemos do que fomos (hipócritas e cobardes); à rasca porque vivemos, também nós, mais velhos, momentos difíceis e complexos e fantástica porque conseguimos feitos incríveis apesar do desmonorar das expectativas e de tantos becos aparentemente sem saída. Mais ou menos optimistas o importante é não desistir dos jovens e de nós prórios. Alexandra

    ResponderExcluir
  4. Sónia: como digo aos meus super heróis, quando a motivação não vem do exterior temos de nos consolar com a interior. Não desistir. Acreditar e querer sempre ir mais além. É realmente verdade que tenho a sorte de poder fazer o que sempre sonhei. Um privilégio. Por vezes sinto que recebo mais do que dou, porque por muito complicado que seja, temos sempre o dia seguinte para recomeçar. Ensinar é uma aventura diária e não há um dia igual ao outro.E isso é bom e permite um empenho e criatividade constante. Alexandra

    ResponderExcluir
  5. Absolutamente fantástico.
    De facto, temos jovens extraordinários que ainda acreditam, investem, partilham e dão... o que têm de melhor! É LINDO!
    Não consigo deixar de dizer uma frase que para mim é uma máxima: "comportamento gera comportamento"... e de facto, nesta vontade de contágio, a proximidade destrói toda a imunidade da descrença de que julgamos os nossos jovens infectados!
    Transformers! Uma ideia, uma pática genial a que não conseguimos deixar de nos sentirmos contagiados.
    Parabéns!!!!!!!!
    Obrigada
    Acho que ganhei o dia!
    Sempre,
    Isabel

    ResponderExcluir
  6. Isabel
    É realmente este poder de contágio que nos contagia e faz acreditar. Também nós ganhamos o(S) dia(S) e ficámos supercontentes por te sentires contagiada por este vírus fantástico. Só pedimos desculpa pelo atraso na resposta às tuas contagiantes palavras que reforçaram ainda mais a nossa crença na juventude.

    ResponderExcluir