Follow by Email

sábado, 30 de outubro de 2010

Porque acreditamos



“ Crise financeira, degradação do emprego, dos alicerces sociais… Parece que todas as condições estão reunidas para que se multipliquem as ondas de violência e as derivas autoritárias. Apesar dos confrontos e tensões, destes últimos meses, tocou-me o aspecto pacifista dos movimentos sociais e a sua grande criatividade. Talvez aspiremos, neste início do século XXI, tornarmo-nos sujeitos positivos do nosso futuro. A emergência da consciência ecológica põe em causa o individualismo destas últimas décadas. Uma percentagem crescente da população explora uma nova arte de viver, com a vontade assumida de transformar a sociedade, começando por se transformar a si própria. Voltar a dar valor ao ser mais do que ao ter, à cooperação mais do que à competição, à preservação mais do que à destruição da natureza, esta mudança de paradigma está na origem de inovações em todos os domínios: eco construção, agro ecologia, economia solidária e social… O grande desafio, hoje, é ligar todas estas iniciativas para que a lógica da solidariedade venha a substituir a lógica da exclusão. Podemos aprender a transformarmo-nos num reservatório de amor.”
                                                                              Patirck Viveret (adaptado)

Porque acreditamos na força dos pequenos gestos e na ligação de todos nós para a construção de um mundo melhor, unimos as nossas vozes às da Marta, Manuela e tantas, tantas outras.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Sonhar

Para ter futuro é preciso construi-lo e, antes disso, sonhá-lo. O mais importante para uma pessoa são os seus sonhos para amanhã, da mesma maneira que, na estrada, pela noite, a luz que se apresenta à frente é mais útil do que aquela que ficou para trás. 
Bom fim de semana!


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Hoje o POC está de parabéns

Pois é, hoje, o Projecto Optimismo em Construção faz 5 anos de vida e nós vamos, mesmo agora, soprar o  5º balão  da sua existência, deixando-vos algumas imagens do nosso oxigénio.
                                              2005/2006
                                                   2006/2007
                                       
                                              2007/2008

                                                   2008/2009
                                                     2009/2010

                                         PARABÉNS POC!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

BOA SEMANA!


"Se todos os seus esforços forem vistos com indiferença não desanime... Porque o Sol, ao nascer, dá um espectáculo deslumbrante e, no entanto, a maioria da plateia continua a dormir."
                                                                                                                    Anónimo





sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A possibilidade de um outro mundo e a esfera armilar


 
 
"É o símbolo holístico da esfera armilar  - numa era celebrada como multicultural, mas ainda tão falha de uma visão real da interdependência ou do entre-ser universal de todos os seres, povos, nações, saberes e culturas - que invoco como paradigma plenamente actual e contemporâneo de um destino por cumprir, de um potencial em aberto, de um chamamento urgente, vindo do mais fundo sem fundo de cada um de nós e do qual depende hoje a sobrevivência humana, a biodiversidade e o equilíbrio do planeta: ver e experimentar o mundo divinamente, ou seja, integralmente, sem cisões, exclusões ou parcialidades. E agir em função disso, para o Bem de tudo e de todos."
                                                                                       Paulo Borges

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Porque amanhã é o DIA DE FAZER A DIFERENÇA!



Para amanhã, "DIA DE FAZER A DIFERENÇA", deixamo-vos a proposta de David Huller ("365 ideias para mudar o mundo"):
"- Porque não fazer algo este ano no Dia de Fazer a Diferença? Combine alguma coisa com os amigos ou faça-o individualmente.
- Faça uma coisa em grande, que envolva muitas pessoas, ou pelo contrário algo bastante discreto, sozinho ou com a ajuda de um amigo. Pode, por exemplo, apanhar o lixo da rua, plantar flores em volta de uma árvore, ou ajudar um idoso a atravessar uma entrada movimentada. 

- Pode marcar a diferença e o Dia de Fazer a Diferença é o dia ideal para o fazer."



quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Trabalhar o optimismo

"Se uma pessoa estiver interessada em ser mais optimista tem que primeiro descobrir o que é o optimismo e, depois, trabalhá-lo. Pense como pensar, tem de analisar os seus pensamentos. Outra coisa que aumenta o optimismo, mas requer algum investimento, é aumentar os pequenos momentos da vida que nos fazem sentir bem, porque durante esses momentos os pensamentos vão ser positivos. Isto não é fácil, embora pareça uma coisa simples. Também podemos fazer uma lista das "pequenas coisas" que são gratificantes na nossa vida. "Que disparate fazer uma lista!", mas se a fizerem estão a treinar o optimismo. Eu gosto de falar com o meu amigo tal, com a minha filha, gosto de comer isto, de passear à beira-mar, gosto de uma lista infinita de coisas e o facto de escrever isso torna-me mais consciente e, de alguma forma, leva-me a ir ao encontro daquilo ou daqueles que me fazem bem."
                       Luis Rojas Marcos 

Tal como a jardinagem, o optimismo pede esforços e tempo.
E porque todos nós temos dias cinzentos deixamo-vos o testemunho de Yohansson (23 anos):

"Há dias em que só temos vontade de desistir. Em que nos perguntamos o que é que fazemos aqui. Em que temos vontade que tudo se acabe. Às vezes perguntamo-nos se não estamos a ter um pesadelo, tentamos convencer-nos disso e dizemo-nos “vou acordar, vou abrir os olhos e  vai aparecer um dia pleno de luz e esperança…” Só que não acontece nada e apercebemo-nos que estamos, de facto, tristes, a sofrer e sentimo-nos desesperadamente sós.
É, às vezes, nesse momento que um fio de luz aparece: a pequena atenção de alguém próximo, uma palavra reconfortante, uma conversa calorosa com as pessoas que amamos... É nesses momentos que me digo que nada está perdido e que ainda há esperança para que me sinta melhor. Que verei, enfim, o sol dentro de mim. Que a sombra existente dentro de mim vai desaparecer e me vou libertar de tudo aquilo que me aprisiona: passado, falta de confiança em mim, o olhar dos outros…
É nesses momentos negros que penso nas pessoas que amo, na minha família, nos meus amigos de todos os dias… Nas coisas simples também, como o sol, o mar, o vento no meu rosto quando saio e o sorriso de alguns desconhecidos com que me cruzo. Digo-me que a vida também pode ser bonita e que faço parte dela, conseguirei libertar-me e alcançar uma felicidade que partilharei com os outros. Nesse dia estarei à altura de dizer a todas as pessoas que conhecem horas sombrias “é possível, não baixem os braços, confiem na vida e aceitem todo o amor dos que vos estão próximos.”
Esse dia ainda não chegou para mim, mas pretendo pôr mãos à obra para que ele chegue o mais rapidamente possível.”  
Fonte: Psychologies


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BOA SEMANA!

"Nada do que tem valor pode ser comprado; tudo o que é autenticamente precioso só pode ser arbitrariamente dado e gratuitamente recebido."
Simon Leys



domingo, 17 de outubro de 2010

Dia internacional para a erradicação da pobreza

“A pobreza é a negação de todos os direitos humanos. “
                                                                                     M. Yunnus

Assim como a escravidão e o apartheid, a pobreza não é um algo natural. Ela é gerada pelo ser humano e pode ser vencida e erradicada pelas acções dos seres humanos.
Nelson Mandela


 

 “O novo milénio começou com um grande sonho global: Reduzir a pobreza para metade até 2015. Nunca antes, na História da Humanidade, o mundo inteiro se tinha comprometido a atingir um objectivo tão audacioso, a uma só voz, com metas e prazos determinados. Mas depois veio o 11 de Setembro, a guerra do Iraque e, de repente, o mundo foi desviado da prossecução desta meta, os dirigentes mundiais desviaram a atenção da guerra contra a pobreza para a guerra contra o terrorismo. Eu não acredito que o terrorismo possa ser derrotado com acções militares. (…) Eu acredito que canalizar recursos para melhorar a vida das pessoas pobres é uma estratégia melhor do que gastar esses mesmos recursos em armas.”
                                                                                                          M. Yunnus
O primeiro objectivo do milénio parece ser, cada vez mais, uma meta inalcançável. O cenário ameaçador que se nos depara torna ainda mais negras as sombras da pobreza: Doenças, ausência de educação, crime, guerra, fuga de cérebros, narcotráfico, prostituição, xenofobia de raça, nação e classe. No entanto… Talvez seja esta a altura de acordarmos e rever percursos. Se vivemos uma crise profunda algo se esgotou. Se chegamos a um beco, talvez seja a altura de arrepiar caminho e encontrar outros: Novas formas de organização económica e social, modelos de desenvolvimento alternativo. Porque, como nos diz Muhammad Yunnus:
“Nós criamos o mundo de acordo com a nossa vontade. Se acreditássemos, firmemente, que a pobreza é inaceitável e que não devia fazer parte de uma sociedade civilizada, teríamos desenvolvido instituições e políticas apropriadas para criar um mundo livre de pobreza.
Temos de inventar formas de mudar, continuamente, as nossas perspectivas e reconfigurar rapidamente as nossas predisposições.”
No âmbito do Projecto "Optimismo em Construção" vamos fazendo a nossa parte.
                                          
                                    Campanha de solidariedade à CVP

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O poder da música


Um estudo muito conhecido, denominado “efeito Mozart”, feito em 1992, mostrou que ao escutar durante 10 minutos uma sonata de Mozart, existia um aumento de 50% do nosso potencial de concentração. Pesquisas posteriores permitiram concluir que a música pode aumentar a nossa produção de endorfinas (“as moléculas da felicidade”), regularizar os batimentos cardíacos, a pressão sanguínea e reforçar a resistência física. De facto, escutar uma hora e meia de uma música calma parece ter o mesmo efeito de tomar 10 mg de um anxiolítico.
Quando a música corresponde ao nosso “tempo” interior, instala-se a harmonia. Em certas culturas, quando  as pessoas estão tristes e desejam entrar em comunhão com outras, mas não conseguem falar, sentam-se simplesmente em círculo para tocar um qualquer instrumento. Estabelece-se a conexão e o equilíbrio emocional: A música tem o poder de curar.

Playing for change

            O projecto "Playing for Change: Songs around the world", cujo conceito é o de que  a música é um factor comum de agregação entre diferentes culturas, etnicidades e regiões, começou com o sonho de um pequeno grupo de cineastas: fazer um documentário sobre músicos de rua de todo o mundo.  Este sonho tornou-se uma realidade que alcançou enormes proporções. Surgiu um movimento global que nos faz sentir intensamente a música como a porta da casa da união de tudo e de todos. 


O Projecto e o seu começo

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

De cabeça para baixo





"Às vezes a nossa vida é colocada de cabeça para baixo para que possamos aprender a viver de cabeça para cima"

  O poeta - Chagall



quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Confiança

 

“O grande desafio que uma visão optimista nos coloca é o de transmitir às crianças uma mensagem de alegria, esperança, confiança em si próprias e no futuro, sem escamotear que as dificuldades e preocupações fazem parte da vida!”
                                                                                                  Mª José Ribeiro

O optimismo é uma história de confiança: Em nós, nos outros e na vida.
Sabemos que, às vezes, por mais que nos esforcemos e empenhemos, as coisas não resultam como desejaríamos. É justamente aqui que o optimismo se revela: Voltamos a começar, perseveramos, damos a volta por cima das crises. No fundo, o optimismo é uma atitude de confiança na existência, associada à convicção de que em caso de problemas ou decepções, saberemos reagir.

“O optimismo não é uma alegria pateta e desenraizada, mas é realista e interveniente. Não se trata de procurar equilíbrios perfeitos, vidas sem erros ou recheadas de invencibilidades, mas sim de encontrar novas forças, outros olhares, mudanças de rumo, e construir transformações que nos trazem mais perto da verdadeira e saudável alegria – apesar, e a partir, dos insucessos e das dificuldades.”

Cabe-nos a nós, como educadores, transmitir a semente da esperança, entusiasmarmo-nos para entusiasmar, passar a mensagem de que crescer é bom e vale a pena confiar.


terça-feira, 12 de outubro de 2010

Sejamos Melhores

O semeador - Millet



“A pessoa optimista caracteriza­-se por ser entusiasta, dinâmica, empreendedora e com os pés na terra.

Porque havemos de ser optimistas neste mundo pessimista?


O optimismo ajuda-nos a enfrentar as dificuldades com bom ânimo e perseverança, descobrindo o lado positivo das pessoas e das circunstâncias, confiando nas nossas capacidades e possibilidades.

A principal diferença entre uma atitude optimista e pessimista é o enfoque dado na apreciação das coisas: ver só inconvenientes e dificuldades provoca-nos apatia e desânimo. O optimismo supõe ver em todas as coisas, soluções, vantagens e possibilidades.

Alcançar o êxito nem sempre é a consequência lógica do optimismo, por muito esforço, empenho e sacrifício que dediquemos, algumas vezes as coisas não resultam como desejamos. O optimismo é uma atitude permanente de voltar a começar.

Não é mais optimista aquele que menos fracassou, mas sim aquele que soube encontrar na adversidade um estímulo para superar, fortalecendo a sua vontade e empenho.

Para a pessoa optimista, as dificuldades são oportunidades que lhe permitem ser mais produtiva, e empreendedora.”

Adaptado de: