Follow by Email

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Por uma mudança em 2011

“Durante um mês lê, ouve, faz tudo o que for positivo, presta atenção àquilo que dizes, corrige-te sempre que caíres na tentação de pensar ou falar algo negativo e no final desta experiência perceberás que ocorreram muitas mudanças positivas na tua vida.”
Robert Holden

Vivemos num país, numa cultura, em que parece que a crítica se tornou um modo de viver: Julgar tudo e todos é quase automático.
O julgamento implica, à partida, fazer uma distinção: Identificar aquilo que sou e aquilo que é o outro, aquilo que nos é semelhante e aquilo que nos distingue. Julgar o outro é julgar-se a si mesmo.  É mais fácil condenar o outro do que reconhecer que podemos comportar-nos como ele - punirmo-nos, por procuração, dos nossos desejos interditos. Se entendermos o julgamento como a parte sombra que grita e chora em nós, o nosso ego ávido de reconhecimento, iniciaremos um novo caminho, sem dúvida, mais bonito nas nossas vidas.
A nossa proposta para este novo ano que vai começar é a de nos libertarmos de formas de julgamento que poluam o olhar sobre o outro e sobre nós mesmos. Fazer silêncio em nós para nos tornarmos mais disponíveis aos outros. Substituir a nossa reacção automatizada para a crítica por uma paragem que nos leve à compreensão e aceitação. Unificar-nos. Pacificarmos a nossa mente e o nosso coração. Em vez de nos focalizarmos na crítica, focalizar-nos em tudo aquilo que temos para agradecer.
Que o ano que vai nascer nos traga, na novidade de cada dia, a cor da gratidão.
FELIZ 2011!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

BOA SEMANA!

"Recomeça...
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres, 
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.


E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças..."

Miguel Torga

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Ao nosso amigo José Ferreira

O optimismo também se constrói sobre perdas e ausências. Sobre elas há que reavivar memórias e replantá-las no presente para as ir colhendo no futuro.
O nosso amigo e colega José Ferreira morreu hoje.
Que o vazio seja preenchido pelo seu sorriso e pelos bons momentos que nos deixou…até sempre.

“ Devia morrer-se de outra maneira.
Transformarmo-nos em fumo, por exemplo.
Ou em nuvens.
Quando nos sentíssemos cansados, fartos do mesmo sol
A fingir de novo todas as manhãs, convocaríamos
Os amigos mais íntimos com um cartão de convite
Para o ritual do Grande Desfazer: “Fulano tal comunica
A V.Exa que vai transformar-se em nuvem hoje
Às 9 horas. Traje de passeio.”
E então, solenemente, olhos de lua de cerimónia, viríamos todos assistir
À despedida.
Apertos de mãos quentes. Ternura de calafrio.
“Adeus! Adeus!”
E pouco a pouco, devagarinho, sem sofrimento,
Numa lassidão de arrancar raízes…
(primeiro, os olhos…em seguida, os lábios…depois os cabelos…)
A carne em vez de apodrecer, começaria a transfigurar-se
Em fumo…tão leve…tão subtil…tão pólen…
Como aquela nuvem além (vêem?) - nesta tarde de Outono
Ainda tocada por um vento de lábios azuis…”

José Gomes Ferreira

Memorandum de amizade em tempo de luto

"Se a vida nos separa, os laços do coração não se desfazem nunca."

Partiu uma parte de nós.
Ficou, também, uma outra a viver intensamente.
Porque encheste a nossa vida de Graça, Força e Sentido.
Ficamos aqui com muitas saudades, mas também com a certeza de que permanecerás connosco. SEMPRE!
Muito obrigado por tudo José Ferreira.

Escuta com o coração

"Escuta com o coração

Fala com a inteligência

Anda com paciência

Age com amor

Progride com generosidade

Insiste com bondade

Olha com benevolência

Convive com optimismo

Caminha com força

Compreende com o bom senso

Ajuda com sabedoria

Dá com desapego

Dorme contigo, no coração…

Sempre!"

                                                                                              (Autor desconhecido)

 

A todos os que por aqui passam, aos que se expressam e aos que se calam, aos que chegam e aos que partem, desejamos um Natal pleno de alegria e amor no coração.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Brilhos no olhar


Neste Natal vamos reencontrar o nosso olhar de criança? Maravilhar-nos, espantar-nos, colocar "brilhos" no nosso olhar? Talvez seja esse o melhor presente que nos podemos oferecer: Tentar olhar tudo como se fosse a primeira vez, reencontrar a nossa capacidade de nos maravilharmos, encantar-nos verdadeiramente com a magia do Natal.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A força do mundo

               “Uma árvore que cai faz mais barulho que uma floresta inteira a crescer.”
                                                                    Annick de Souzenelle

O jornalismo baseia-se numa consabida premissa de que as boas notícias não são notícia. Aparentemente negativo, este é um bom sinal. Porquê? Justamente porque são as más notícias que não passam despercebidas. Se não passam despercebidas, se nos saltam à vista, significa que o insólito está nelas. Porque é que ficamos tão revoltados se, por exemplo, alguém cai numa rua, não consegue levantar-se, passam duas pessoas e nenhuma delas presta auxílio? Porque, no fundo, aquelas duas pessoas foram a excepção à natureza intrínseca do homem que é a da solidariedade. O ser humano tem uma enorme capacidade de compaixão, de viver a dor alheia. A grande maioria dos seres humanos é composta por pessoas generosas e altruístas.
Como nos diz Christiane Singer, o mundo já teria desaparecido se a única realidade fosse a das árvores que caem. "O mundo mantém-se graças à rede de amor que criamos, vocês, eu, e todos os seres que, neste instante, praticam actos de amor no mundo, ou têm um olhar de ternura sobre a terra que nos cerca, sobre a criação. Isto mantém o mundo de pé.”

domingo, 12 de dezembro de 2010

BOA SEMANA!



"Viver bem é consumir-se, é queimar os carvões do tempo que nos constitui. Somos feitos de tempo e isso significa: Somos passagem, movimento sem trégua, finitude. A quota da eternidade que nos cabe está encravada no tempo. É preciso garimpá-la com incessante coragem, para que o gosto do seu ouro possa fulgir em nosso lábio. Se isso acontece, somos alegres e bons e a nossa vida tem sentido."
                                                        Hélio Pellegrino

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Interligação (II)



 
“Para dominar o universo natural, o homem ocidental separou-se dele. Esta atitude heróica, agressiva e dominadora em relação ao ambiente é bem ilustrada, por exemplo, pela arte dos jardins clássicos em que a natureza é submetida, deformada, violada, reduzida e talhada de modo a tornar-se inteiramente concordante com uma geometria e um desenho impostos pelo homem. Numa tal perspectiva, rigorosamente antropocêntrica, as formas e os motivos naturais, não elaborados pela mão do homem, e cuja misteriosa complexidade não reflecte a de nenhum cérebro, adquirem automaticamente algo de ameaçador.”
                                                                                                      Simon Leys
 
Um dos campos em que a interligação se manifesta com maior nitidez é o da blogosfera. O post “Paga o justo pelo pecador” do blogue INESCREVER é revelador. Neste post, o texto belíssimo Rainer Maria Rilke faz-nos reflectir sobre a interconexão existente entre o homem e a natureza.
Com medo do poder da natureza e por avidez optámos por dominá-la. As consequências estão à vista: Poluição, acidentes climáticos, desflorestação, crises alimentares, doenças…
Tudo nos convoca para uma mudança, para uma reconciliação.
Em vez de nos consagrarmos unicamente à busca de soluções técnicas para poluir menos, devemos reflectir profundamente na nossa interdependência numa mesma “CASA”. A mudança, para a qual somos convocados, exige um alargamento da nossa consciência individual e colectiva. Como nos diz Marie Romanens: “Uma escuta atenta de si e do outro, um questionamento profundo dos nossos actos, da nossa forma de ser numa relação, de nos alimentarmos, de consumirmos e ocuparmos o lazer”.
Marie Romanens interpela-nos com os seguintes convites:
- Recusar a lógica da separação ao investir em laços mais humanos com os nossos próximos, estrangeiros e natureza.
- Reconhecer a natureza como o espelho das nossas almas – imergirmo-nos regularmente nela, para nos sentirmos plenamente (re)ligados e responsáveis pelo seu futuro.
- Descobrir o prazer de ser – investir em domínios que solicitem a nossa criatividade, singularidade.
- Potencializar, o mais possível, os nossos talentos na família, trabalho, amigos ou associações.
Convites a “viver de uma forma mais humana, mais responsável, mais alegre”, com um sentido que, por vezes, tanta falta nos faz.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Interligação (I)



"O bater de asas de uma borboleta no Brasil pode causar um tornado no Texas."
               Edward Lorenz

"Quando arranco uma erva, estremeço o mundo nas suas fundações."
              Provérbio tibetano

Lembrar-nos do poder do infinitamente pequeno consciencializa-nos para a responsabilidade acrescida de cada um dos nossos gestos, por menor que nos possa parecer. 
Pequenas alterações em sistemas dinâmicos podem ter enormes impactos, pois o resultado final é fruto de acções interligadas. Na acunpultura, a ponta de uma agulha, colocada no lugar certo, pode curar o orgão ou todo o corpo; na Bolsa, uma pequena flutuação num mercado pode afectar muitos outros; no clima, qualquer alteração numa das variáveis atmosféricas, pode provocar grandes mudanças. Por isso, quando agirmos, seja em que sentido for, lembremo-nos que tudo (e todos) está interligado e que o mais pequeno dos actos, de cada um, não se reflecte unicamente na vida do seu autor, mas na vida de todos nós. Para o bem e para o mal. A escolha está nas mãos de cada um.

                     Nota: Este post é dedicado aos alunos do 11º E2 e 11º E1 da ESM.


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

BOA SEMANA!

"Nenhum pessimista descobriu o segredo das estrelas, ou navegou por mares desconhecidos, ou abriu uma porta ao espírito humano."
                                                                                        
                                                                      Hellen Keller

Não desistir



“Muitos dos fracassos da vida acontecem a pessoas que não se apercebem do quão próximo estiveram do sucesso antes de desistirem.”
                                                                                                              Thomas Edison

“Todas as setas que acertam em cheio no alvo são o resultado de cem disparos ao lado.” Viver implica riscos, estes, por sua vez, implicam escolhas e estas implicam erros. É a aprendizagem que decorre dos nossos erros que nos permite conquistar os nossos sonhos. Como nos diz Lucy MacDonald, no seu livro “Aprenda a ser optimista”, há que aceitar o fracasso, acreditar que  se conseguirá da próxima vez, não pensar que o fracasso é qualquer coisa de pessoal (“o génio é 1% de inspiração, 99% de transpiração”), aprender com os erros, procurar o sucesso dentro do fracasso. Perguntas que deve fazer a si mesmo:
- O que tentei concretizar?
- Porque não resultou?
- Serei capaz de identificar alguns aspectos bem sucedidos desta experiência?
- Que lições aprendi?
- O que farei de  diferente da próxima vez?

sábado, 4 de dezembro de 2010

Um concurso inspirador

 “A escola deve servir para mudar o mundo no bom sentido, não para perpetuar os erros. A escola precisa de inspiração e de inspirar.” 
                                                                                                              Manuela Araújo


Vamos participar no concurso “Melhorar o Mundo na Escola” lançado nos blogues Sustentabilidade é Acção e Famalicão por um Mundo Melhor
 Acreditamos firmemente que para ter futuro é preciso construí-lo e, antes disso, sonhá-lo. A construção de um Novo Mundo está  nas realidades que sonhamos e ousamos acreditar. Acreditamos que as escolas são os mundos que dão asas ao Mundo. Vamos voar?

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Talentos

 
                               Turner
      
        “Adormeci e sonhei que a vida era alegria.
        Acordei e vi que a vida era serviço.
       Agi e vi que servir era alegria.”
                                                Rabindranath Tagore

 “No lugar onde o talento se encontra com as necessidades do mundo, reside a vocação do homem.”
                                                                                 Aristóteles

Fomos contemplados com inúmeros talentos e cada um de nós tem, pelo menos, um talento especial para oferecer aos outros.
Deveríamos ter sempre presente que há alguma coisa específica que sabemos fazer melhor do que ninguém e que a devemos expressar na ajuda a outros seres humanos.
Focalizar-nos naquilo que temos de especial e perguntar-nos diariamente: “Como posso ajudar?” é o alicerce da nossa construção como seres humanos, da construção de um mundo total, pleno de sabedoria e amor.

Nota: Unindo-nos à nossa amiga Zilda Cardoso e a tantos outros amigos, dedicamos este post a Laurinda Alves que faz hoje anos e cujos talentos nos têm sido generosamente oferecidos. Muitos parabéns Laurinda!

domingo, 28 de novembro de 2010

BOA SEMANA!

                                              Entrevista a Stephen Hawking

“- Como se mantém optimista?
- As minhas expectativas reduziram-se a zero quando tinha 21 anos. Desde então tudo na minha vida tem sido gratificação.”



Capacidade de escolha



             “Tudo pode ser retirado a um homem, excepto a última das liberdades humanas: Escolher a atitude a seguir perante determinadas circunstâncias.”
                                                                       Frankl

“Todos somos livres de escolher. A seguir à própria vida é a capacidade de escolha o nosso maior dom. O poder e a capacidade de escolha contrastam fortemente com o paradigma da vitimização e com a cultura de culpabilização tão em voga na actual sociedade."
                                                                                                                             Stephen Covey
 
           A nossa essência reside, sobretudo, na capacidade de direccionarmos a nossa vida. São as nossas escolhas que nos definem. Os animais reagem, os seres humanos podem escolher. É essa capacidade de escolha que nos permite progredir e inventar-nos a cada passo. 
E… Somos uma infinidade de possibilidades, possibilidades que podemos optimizar até ao final dos nossos dias.

 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Mudança

“A vida recomeça todos os dias, para uma nova partida, na certeza de que a mudança do mundo começa pela mudança de si mesmo.”
                                                                                              Jean Guitton

Eis uma história de tradição islâmica relatada por Christiane Singer, no seu livro “O lado positivo das crises”:

“Um velho sábio foi interrogado sobre a trajectória da sua existência até aquele dia. E eis como ele a resumiu em três etapas: Aos vinte anos tinha só uma oração: meu Deus ajuda-me a mudar este mundo tão insustentável, tão impiedoso. E durante os vinte e um anos seguintes, lutei como uma fera para constatar que, afinal, nada tinha mudado. Aos quarenta anos tinha apenas uma oração: meu Deus, ajuda-me a mudar a minha mulher, os meus pais, os meus filhos! Durante vinte anos, lutei como uma fera para. no final, constatar que nada tinha mudado. Agora sou um homem velho e apenas tenho uma oração: meu Deus, ajuda-me a mudar-me – e eis que o mundo, à minha volta, muda!.”

Nota: Muito obrigada Isabel por ser como é,  pela escrita com que nos brinda, pela forma como nos comove. Parabéns pelo seu 50º post, muitos parabéns por Escrever por Dentro, (in) escrevendo nos nossos corações.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

BOA SEMANA!

                                            CULTIVAR UM NOVO OLHAR
                                                           Boris Kustodiev
 

"Se não nos conectarmos às nossas necessidades profundas, psicológicas, fisiológicas, afectivas ou criativas, acabamos por criar novas necessidades que acabam em impasses porque a sua satisfação não nos preenche. Quanto mais o indivíduo está fragilizado mais se arrisca a tomar o consumo como um escape para preencher a necessidade de existir."
                                               Paul Aries

Aproximamo-nos do Natal: Luzes, montras feéricas, montanhas de brinquedos... Perguntamo-nos o que oferecer em embrulhos ricamente decorados. Um jogo de vídeo para o filho? Sai um todos as semanas, qual escolher? Em intermináveis filas esperamos a nossa vez. E depois... Quando chega o dia 25 de Dezembro, provavelmente, o que sentimos é um grande mal estar no meio de todos aqueles papéis amarrotados e restos de comida nos pratos. Para quê tudo isto? 
Estamos a retratar, é claro, aquilo que acontece na nossa sociedade de abundância, porque noutras partes do mundo, onde a fome e a sede minam os estômagos, cada um sabe bem onde se encontra o essencial. Cada vez mais, nesta sociedade, "o essencial é invisível para os olhos". 
Há que cultivar um novo olhar. Temos tanto para apreciar. Devemos "tomar" um pouco do nosso tempo para valorizar aquilo que nos facilita a vida: O ar e sol que entram pela nossa janela, as frutas e legumes na mesa,  a àgua que corre nas nossas torneiras, o sorriso com que fomos brindados, o abraço que nos acolheu.
Pensemos nisso. Talvez esse seja o melhor presente que podemos oferecer neste Natal: Cultivar um novo olhar.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Simplicidade


“A simplicidade é uma arte que não é simples.”
Dominique Loreau

A simplicidade como filosofia de vida implica um trabalho interior de reconhecimento e vigilância. Dominique Loreau apresenta-nos algumas sugestões para o concretizarmos:
  • 1.       Aprender a distinguir desejos de necessidades profundas.
  • 2.       Preferir a autenticidade à quantidade.
  • 3.       Privilegiar o espaço e o silêncio.
  • 4.       Possuir sem ser possuído.
  • 5.       Permanecer o mais livre possível.
Desembaraçar-nos daquilo que é excessivo, ou de muitas das coisas que possuímos, não significa viver em pobreza. Pelo contrário, “significa aceder a uma nova forma de riqueza, aquela de saber dar lugar ao essencial”: Ter tempo para cultivar os nossos dons, usufruir plenamente de tudo aquilo que temos dentro e fora de nós. Aceder à riqueza que está aqui e agora. 
Bom fim de semana!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Histórias de vida - Kim Phuc



A fotografia de Kim Phuc é a imagem símbolo da Guerra do Vietname: uma menina que corre nua, com o corpo em chamas, entre outras crianças, numa estrada nos arredores de Saigão. Essa menina tem hoje 47 anos, decidiu que nunca abdicaria do seu direito à vida e dirige uma fundação que procura transmitir às crianças a crença na superação de dores profundas e obstáculos aparentemente inultrapassáveis.
A 8 de Junho de 1972 Kim Phuc refugiara-se num templo da pequena povoação Thang Bang. O ruído dos aviões, que sobrevoaram a povoação, assustou o grupo de que fazia parte Kim Phuc, levando-o a deixar o templo. Ao abandonarem o templo foram atacados, na estrada, por bombas naplam. Dois dos irmãos de Kim tiveram morte imediata. A sobrevivência de Kim Phuc deveu-se ao fotógrafo indonésio Nick Ut que fixou o momento em que a pequena vietnamita estava com o corpo em chamas. Com queimaduras de terceiro grau e o queixo preso ao peito por cicatrizes da carne e músculos queimados, Kim foi sujeita a 17 intervenções cirúrgicas em dois anos. Apesar da cirurgia reconstrutiva, as suas costas são representativas da dor crónica a que está condenada a conviver até ao fim da sua vida.
Demasiado tarde para prosseguir medicina, Kim Phuc optou por farmacologia. Em Havana conheceu o seu marido, outro estudante de informática vietnamita. Numa escala para reabastecimento num aeroporto entre Moscovo e Havana, saíram do avião e pediram asilo político no Canadá começando, assim, uma nova etapa da sua vida.
Em 1997 foi nomeada embaixadora de boa vontade da UNESCO e criou a Fundação Kim Phuc para apoio às crianças filhas da guerra, como ela. A hipótese de um mundo novo, um caminho de perdão, uma abertura para a felicidade…


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

BOA SEMANA!

                                           Duas estudantes - Mai-Thu

“Em vez de nos concentrarmos nos problemas, vamos dar atenção aos momentos (situações, pessoas) em que, mesmo excepcionalmente, eles não ocorrem. São situações de controlo e não sentimentos de impotência que nos motivam e apontam respostas.”

                               Marujo, H., Neto, L. M. Optimismo e Esperança na Educação




sábado, 13 de novembro de 2010

Dia Mundial da Gentileza



"Acredito no efeito "gotas de chuva": são poucas gotas numa estrada que formam uma poça e, logo em seguida, a estrada fica húmida. São as ONG, as pessoas que tecem laços sociais que criam pontos de inflexão. A seguir, a nossa tendência natural para a imitação entra em jogo. É assim que as culturas se transformam."
                                                                                                
                                                                            Mattieu Ricard

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Esteja onde estiver

No dia 13 de Novembro, esteja onde estiver, deixe falar o seu coração. Às vezes não é simples, mas acredite que é gratificante e contagioso. Algumas ideias:
  • Pense num vizinho, numa pessoa idosa ou alguém que esteja muito sózinho e convide-o para jantar.
  • Escreva a um amigo que tenha perdido de vista, ou com quem se tenha zangado.
  • Num hospital vá ver aqueles que nunca recebem visitas.
  • No facebook envie palavras ou sorrisos gentis a todos os seus amigos, crie um grupo de pessoas gentis.
  • Envie um cartão postal com palavras carinhosas.
  • Faça o jogo do "Eu reparei": Observe os seus colegas e repare no seu semblante (triste? alegre? ansioso?). Mostre-lhes que reparou e coloque um cartão com uma palavrinha no seu bolso.
  • Eleja a pessoa mais gentil do seu trabalho (voto anónimo).
  • Organize uma espécie de "amigo secreto". Alguns dias antes, envie um email aos seus amigos a perguntar: O que te poderia oferecer para te fazer feliz? Recolha as respostas e distribua-as aleatoriamente no dia 13 de Novembro. Assim, terão, também, algumas dicas do que poderão oferecer numa qualquer outra ocasião.
                                                            Mais propostas AQUI

Prémio Dardos


Com grande contentamento e surpresa vimos, há pouco, que o nosso blogue tinha recebido o Prémio Dardos das mãos de Manuela Araújo, do blogue Sustentabilidade é Acção. Sentimo-nos muito honradas com este prémio pela referência que a Manuela é para nós, pelo que significa e pelo acolhimento que é dado, logo no início da sua vida, ao nosso blogue.
O significado deste selo é o seguinte: 
«O Prémio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras. Estes selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web» 
Receber o prémio implica aceitar as suas regras, que neste caso são: 1 - Exibir a imagem do selo no blogue; 2 - Revelar o link do blogue que atribuiu o prémio; 3 - Escolher 10, 15 ou 30 blogues para premiar.
Só nos falta, então, cumprir a última regra indicando, de seguida, blogues que acompanhamos pelos valores éticos que nos transmitem (alguns não nos conhecem, outros já eram nossos amigos e com outros começamos, agora, a criar laços). Com muito carinho retribuimos este prémio ao blogue Sustentabilidade é Acção e entregamos aos blogues:  Caminhando, Do meu lugar, Três Chávenas de Chá, Começar de novo, Um blog pelo ambiente, O fio de Ariadne, Coração de professor, Le chemin du bonheur, Ginko.

Nota de 20/11/2010: Agradecemos ainda ao blogue http://reinvestir-portugal.blogspot.com/ de quem também recebemos este prémio com grande alegria.
Nota de 3/12/2010: Agradecemos, reconhecidas, ao blog http://pensamentosdaveiga.blogspot.com/ que também nos contemplou  com este prémio.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

BOA SEMANA!

                                                  Fazendo redes - Vincent Ramos

"A gentileza existe em cada um de nós. Basta fazer o primeiro gesto para que ela se expresse em reciprocidade. Todos nós temos, cada vez mais, consciência da necessidade desta "ecologia relacional" que consiste numa viagem pela vida com uma consciência de respeito e amor."
                                                                                   Thomas d´Ansembourg

Muito obrigada Joana pela parceria na tecedura desta rede!




sexta-feira, 5 de novembro de 2010

OUSEMOS SER GENTIS



A gentileza, desde que vivida com autenticidade, é uma forma de coragem: Uma abertura ao outro que vive centrado nos seus próprios interesses. Uma forma de heroísmo do quotidiano que enfrenta o individualismo e abre o caminho para a mudança de comportamentos tão necessária para fazer face a estes tempos de crise que vivemos. Tempos que exigem, mais do que nunca, a nossa união e solidariedade.   Porque o futuro que sonhamos depende das nossas atitudes e gestos de hoje, unimo-nos ao “Movimento mundial da gentileza”. Este movimento conta com mais de três milhões de membros de países como a Austrália, Canadá, Inglaterra, Singapura, França, Brasil, Coreia do Sul… Tornar o mundo mais gentil parecia ser uma tarefa quase impossível, mas como “uma viagem de muitos quilómetros começa por um passo” foi decidido começar, primeiro, por um dia (tal como quando se pretende parar de fumar). Um dia para dizer bom dia, sorrir ao vizinho, oferecer flores a quem nos atende no supermercado... Esse dia é o dia 13 de Novembro e nós contamos convosco para aderir a esta iniciativa.  



quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Reflexão desta manhã

                                           Pequenas alegrias - Kandinsky


                          Quando é que me deixei surpreender pela última vez?




segunda-feira, 1 de novembro de 2010

BOA SEMANA!

 

"O ser humano sabe fazer dos obstáculos novos caminhos porque, para a vida, basta o espaço de uma fenda para renascer."

                                                          Ernesto Sabato 

sábado, 30 de outubro de 2010

Porque acreditamos



“ Crise financeira, degradação do emprego, dos alicerces sociais… Parece que todas as condições estão reunidas para que se multipliquem as ondas de violência e as derivas autoritárias. Apesar dos confrontos e tensões, destes últimos meses, tocou-me o aspecto pacifista dos movimentos sociais e a sua grande criatividade. Talvez aspiremos, neste início do século XXI, tornarmo-nos sujeitos positivos do nosso futuro. A emergência da consciência ecológica põe em causa o individualismo destas últimas décadas. Uma percentagem crescente da população explora uma nova arte de viver, com a vontade assumida de transformar a sociedade, começando por se transformar a si própria. Voltar a dar valor ao ser mais do que ao ter, à cooperação mais do que à competição, à preservação mais do que à destruição da natureza, esta mudança de paradigma está na origem de inovações em todos os domínios: eco construção, agro ecologia, economia solidária e social… O grande desafio, hoje, é ligar todas estas iniciativas para que a lógica da solidariedade venha a substituir a lógica da exclusão. Podemos aprender a transformarmo-nos num reservatório de amor.”
                                                                              Patirck Viveret (adaptado)

Porque acreditamos na força dos pequenos gestos e na ligação de todos nós para a construção de um mundo melhor, unimos as nossas vozes às da Marta, Manuela e tantas, tantas outras.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Sonhar

Para ter futuro é preciso construi-lo e, antes disso, sonhá-lo. O mais importante para uma pessoa são os seus sonhos para amanhã, da mesma maneira que, na estrada, pela noite, a luz que se apresenta à frente é mais útil do que aquela que ficou para trás. 
Bom fim de semana!


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Hoje o POC está de parabéns

Pois é, hoje, o Projecto Optimismo em Construção faz 5 anos de vida e nós vamos, mesmo agora, soprar o  5º balão  da sua existência, deixando-vos algumas imagens do nosso oxigénio.
                                              2005/2006
                                                   2006/2007
                                       
                                              2007/2008

                                                   2008/2009
                                                     2009/2010

                                         PARABÉNS POC!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

BOA SEMANA!


"Se todos os seus esforços forem vistos com indiferença não desanime... Porque o Sol, ao nascer, dá um espectáculo deslumbrante e, no entanto, a maioria da plateia continua a dormir."
                                                                                                                    Anónimo





sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A possibilidade de um outro mundo e a esfera armilar


 
 
"É o símbolo holístico da esfera armilar  - numa era celebrada como multicultural, mas ainda tão falha de uma visão real da interdependência ou do entre-ser universal de todos os seres, povos, nações, saberes e culturas - que invoco como paradigma plenamente actual e contemporâneo de um destino por cumprir, de um potencial em aberto, de um chamamento urgente, vindo do mais fundo sem fundo de cada um de nós e do qual depende hoje a sobrevivência humana, a biodiversidade e o equilíbrio do planeta: ver e experimentar o mundo divinamente, ou seja, integralmente, sem cisões, exclusões ou parcialidades. E agir em função disso, para o Bem de tudo e de todos."
                                                                                       Paulo Borges

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Porque amanhã é o DIA DE FAZER A DIFERENÇA!



Para amanhã, "DIA DE FAZER A DIFERENÇA", deixamo-vos a proposta de David Huller ("365 ideias para mudar o mundo"):
"- Porque não fazer algo este ano no Dia de Fazer a Diferença? Combine alguma coisa com os amigos ou faça-o individualmente.
- Faça uma coisa em grande, que envolva muitas pessoas, ou pelo contrário algo bastante discreto, sozinho ou com a ajuda de um amigo. Pode, por exemplo, apanhar o lixo da rua, plantar flores em volta de uma árvore, ou ajudar um idoso a atravessar uma entrada movimentada. 

- Pode marcar a diferença e o Dia de Fazer a Diferença é o dia ideal para o fazer."



quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Trabalhar o optimismo

"Se uma pessoa estiver interessada em ser mais optimista tem que primeiro descobrir o que é o optimismo e, depois, trabalhá-lo. Pense como pensar, tem de analisar os seus pensamentos. Outra coisa que aumenta o optimismo, mas requer algum investimento, é aumentar os pequenos momentos da vida que nos fazem sentir bem, porque durante esses momentos os pensamentos vão ser positivos. Isto não é fácil, embora pareça uma coisa simples. Também podemos fazer uma lista das "pequenas coisas" que são gratificantes na nossa vida. "Que disparate fazer uma lista!", mas se a fizerem estão a treinar o optimismo. Eu gosto de falar com o meu amigo tal, com a minha filha, gosto de comer isto, de passear à beira-mar, gosto de uma lista infinita de coisas e o facto de escrever isso torna-me mais consciente e, de alguma forma, leva-me a ir ao encontro daquilo ou daqueles que me fazem bem."
                       Luis Rojas Marcos 

Tal como a jardinagem, o optimismo pede esforços e tempo.
E porque todos nós temos dias cinzentos deixamo-vos o testemunho de Yohansson (23 anos):

"Há dias em que só temos vontade de desistir. Em que nos perguntamos o que é que fazemos aqui. Em que temos vontade que tudo se acabe. Às vezes perguntamo-nos se não estamos a ter um pesadelo, tentamos convencer-nos disso e dizemo-nos “vou acordar, vou abrir os olhos e  vai aparecer um dia pleno de luz e esperança…” Só que não acontece nada e apercebemo-nos que estamos, de facto, tristes, a sofrer e sentimo-nos desesperadamente sós.
É, às vezes, nesse momento que um fio de luz aparece: a pequena atenção de alguém próximo, uma palavra reconfortante, uma conversa calorosa com as pessoas que amamos... É nesses momentos que me digo que nada está perdido e que ainda há esperança para que me sinta melhor. Que verei, enfim, o sol dentro de mim. Que a sombra existente dentro de mim vai desaparecer e me vou libertar de tudo aquilo que me aprisiona: passado, falta de confiança em mim, o olhar dos outros…
É nesses momentos negros que penso nas pessoas que amo, na minha família, nos meus amigos de todos os dias… Nas coisas simples também, como o sol, o mar, o vento no meu rosto quando saio e o sorriso de alguns desconhecidos com que me cruzo. Digo-me que a vida também pode ser bonita e que faço parte dela, conseguirei libertar-me e alcançar uma felicidade que partilharei com os outros. Nesse dia estarei à altura de dizer a todas as pessoas que conhecem horas sombrias “é possível, não baixem os braços, confiem na vida e aceitem todo o amor dos que vos estão próximos.”
Esse dia ainda não chegou para mim, mas pretendo pôr mãos à obra para que ele chegue o mais rapidamente possível.”  
Fonte: Psychologies


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BOA SEMANA!

"Nada do que tem valor pode ser comprado; tudo o que é autenticamente precioso só pode ser arbitrariamente dado e gratuitamente recebido."
Simon Leys



domingo, 17 de outubro de 2010

Dia internacional para a erradicação da pobreza

“A pobreza é a negação de todos os direitos humanos. “
                                                                                     M. Yunnus

Assim como a escravidão e o apartheid, a pobreza não é um algo natural. Ela é gerada pelo ser humano e pode ser vencida e erradicada pelas acções dos seres humanos.
Nelson Mandela


 

 “O novo milénio começou com um grande sonho global: Reduzir a pobreza para metade até 2015. Nunca antes, na História da Humanidade, o mundo inteiro se tinha comprometido a atingir um objectivo tão audacioso, a uma só voz, com metas e prazos determinados. Mas depois veio o 11 de Setembro, a guerra do Iraque e, de repente, o mundo foi desviado da prossecução desta meta, os dirigentes mundiais desviaram a atenção da guerra contra a pobreza para a guerra contra o terrorismo. Eu não acredito que o terrorismo possa ser derrotado com acções militares. (…) Eu acredito que canalizar recursos para melhorar a vida das pessoas pobres é uma estratégia melhor do que gastar esses mesmos recursos em armas.”
                                                                                                          M. Yunnus
O primeiro objectivo do milénio parece ser, cada vez mais, uma meta inalcançável. O cenário ameaçador que se nos depara torna ainda mais negras as sombras da pobreza: Doenças, ausência de educação, crime, guerra, fuga de cérebros, narcotráfico, prostituição, xenofobia de raça, nação e classe. No entanto… Talvez seja esta a altura de acordarmos e rever percursos. Se vivemos uma crise profunda algo se esgotou. Se chegamos a um beco, talvez seja a altura de arrepiar caminho e encontrar outros: Novas formas de organização económica e social, modelos de desenvolvimento alternativo. Porque, como nos diz Muhammad Yunnus:
“Nós criamos o mundo de acordo com a nossa vontade. Se acreditássemos, firmemente, que a pobreza é inaceitável e que não devia fazer parte de uma sociedade civilizada, teríamos desenvolvido instituições e políticas apropriadas para criar um mundo livre de pobreza.
Temos de inventar formas de mudar, continuamente, as nossas perspectivas e reconfigurar rapidamente as nossas predisposições.”
No âmbito do Projecto "Optimismo em Construção" vamos fazendo a nossa parte.
                                          
                                    Campanha de solidariedade à CVP

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O poder da música


Um estudo muito conhecido, denominado “efeito Mozart”, feito em 1992, mostrou que ao escutar durante 10 minutos uma sonata de Mozart, existia um aumento de 50% do nosso potencial de concentração. Pesquisas posteriores permitiram concluir que a música pode aumentar a nossa produção de endorfinas (“as moléculas da felicidade”), regularizar os batimentos cardíacos, a pressão sanguínea e reforçar a resistência física. De facto, escutar uma hora e meia de uma música calma parece ter o mesmo efeito de tomar 10 mg de um anxiolítico.
Quando a música corresponde ao nosso “tempo” interior, instala-se a harmonia. Em certas culturas, quando  as pessoas estão tristes e desejam entrar em comunhão com outras, mas não conseguem falar, sentam-se simplesmente em círculo para tocar um qualquer instrumento. Estabelece-se a conexão e o equilíbrio emocional: A música tem o poder de curar.

Playing for change

            O projecto "Playing for Change: Songs around the world", cujo conceito é o de que  a música é um factor comum de agregação entre diferentes culturas, etnicidades e regiões, começou com o sonho de um pequeno grupo de cineastas: fazer um documentário sobre músicos de rua de todo o mundo.  Este sonho tornou-se uma realidade que alcançou enormes proporções. Surgiu um movimento global que nos faz sentir intensamente a música como a porta da casa da união de tudo e de todos. 


O Projecto e o seu começo

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

De cabeça para baixo





"Às vezes a nossa vida é colocada de cabeça para baixo para que possamos aprender a viver de cabeça para cima"

  O poeta - Chagall