Follow by Email

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Por uma mudança em 2011

“Durante um mês lê, ouve, faz tudo o que for positivo, presta atenção àquilo que dizes, corrige-te sempre que caíres na tentação de pensar ou falar algo negativo e no final desta experiência perceberás que ocorreram muitas mudanças positivas na tua vida.”
Robert Holden

Vivemos num país, numa cultura, em que parece que a crítica se tornou um modo de viver: Julgar tudo e todos é quase automático.
O julgamento implica, à partida, fazer uma distinção: Identificar aquilo que sou e aquilo que é o outro, aquilo que nos é semelhante e aquilo que nos distingue. Julgar o outro é julgar-se a si mesmo.  É mais fácil condenar o outro do que reconhecer que podemos comportar-nos como ele - punirmo-nos, por procuração, dos nossos desejos interditos. Se entendermos o julgamento como a parte sombra que grita e chora em nós, o nosso ego ávido de reconhecimento, iniciaremos um novo caminho, sem dúvida, mais bonito nas nossas vidas.
A nossa proposta para este novo ano que vai começar é a de nos libertarmos de formas de julgamento que poluam o olhar sobre o outro e sobre nós mesmos. Fazer silêncio em nós para nos tornarmos mais disponíveis aos outros. Substituir a nossa reacção automatizada para a crítica por uma paragem que nos leve à compreensão e aceitação. Unificar-nos. Pacificarmos a nossa mente e o nosso coração. Em vez de nos focalizarmos na crítica, focalizar-nos em tudo aquilo que temos para agradecer.
Que o ano que vai nascer nos traga, na novidade de cada dia, a cor da gratidão.
FELIZ 2011!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

BOA SEMANA!

"Recomeça...
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres, 
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.


E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças..."

Miguel Torga

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Ao nosso amigo José Ferreira

O optimismo também se constrói sobre perdas e ausências. Sobre elas há que reavivar memórias e replantá-las no presente para as ir colhendo no futuro.
O nosso amigo e colega José Ferreira morreu hoje.
Que o vazio seja preenchido pelo seu sorriso e pelos bons momentos que nos deixou…até sempre.

“ Devia morrer-se de outra maneira.
Transformarmo-nos em fumo, por exemplo.
Ou em nuvens.
Quando nos sentíssemos cansados, fartos do mesmo sol
A fingir de novo todas as manhãs, convocaríamos
Os amigos mais íntimos com um cartão de convite
Para o ritual do Grande Desfazer: “Fulano tal comunica
A V.Exa que vai transformar-se em nuvem hoje
Às 9 horas. Traje de passeio.”
E então, solenemente, olhos de lua de cerimónia, viríamos todos assistir
À despedida.
Apertos de mãos quentes. Ternura de calafrio.
“Adeus! Adeus!”
E pouco a pouco, devagarinho, sem sofrimento,
Numa lassidão de arrancar raízes…
(primeiro, os olhos…em seguida, os lábios…depois os cabelos…)
A carne em vez de apodrecer, começaria a transfigurar-se
Em fumo…tão leve…tão subtil…tão pólen…
Como aquela nuvem além (vêem?) - nesta tarde de Outono
Ainda tocada por um vento de lábios azuis…”

José Gomes Ferreira

Memorandum de amizade em tempo de luto

"Se a vida nos separa, os laços do coração não se desfazem nunca."

Partiu uma parte de nós.
Ficou, também, uma outra a viver intensamente.
Porque encheste a nossa vida de Graça, Força e Sentido.
Ficamos aqui com muitas saudades, mas também com a certeza de que permanecerás connosco. SEMPRE!
Muito obrigado por tudo José Ferreira.

Escuta com o coração

"Escuta com o coração

Fala com a inteligência

Anda com paciência

Age com amor

Progride com generosidade

Insiste com bondade

Olha com benevolência

Convive com optimismo

Caminha com força

Compreende com o bom senso

Ajuda com sabedoria

Dá com desapego

Dorme contigo, no coração…

Sempre!"

                                                                                              (Autor desconhecido)

 

A todos os que por aqui passam, aos que se expressam e aos que se calam, aos que chegam e aos que partem, desejamos um Natal pleno de alegria e amor no coração.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Brilhos no olhar


Neste Natal vamos reencontrar o nosso olhar de criança? Maravilhar-nos, espantar-nos, colocar "brilhos" no nosso olhar? Talvez seja esse o melhor presente que nos podemos oferecer: Tentar olhar tudo como se fosse a primeira vez, reencontrar a nossa capacidade de nos maravilharmos, encantar-nos verdadeiramente com a magia do Natal.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A força do mundo

               “Uma árvore que cai faz mais barulho que uma floresta inteira a crescer.”
                                                                    Annick de Souzenelle

O jornalismo baseia-se numa consabida premissa de que as boas notícias não são notícia. Aparentemente negativo, este é um bom sinal. Porquê? Justamente porque são as más notícias que não passam despercebidas. Se não passam despercebidas, se nos saltam à vista, significa que o insólito está nelas. Porque é que ficamos tão revoltados se, por exemplo, alguém cai numa rua, não consegue levantar-se, passam duas pessoas e nenhuma delas presta auxílio? Porque, no fundo, aquelas duas pessoas foram a excepção à natureza intrínseca do homem que é a da solidariedade. O ser humano tem uma enorme capacidade de compaixão, de viver a dor alheia. A grande maioria dos seres humanos é composta por pessoas generosas e altruístas.
Como nos diz Christiane Singer, o mundo já teria desaparecido se a única realidade fosse a das árvores que caem. "O mundo mantém-se graças à rede de amor que criamos, vocês, eu, e todos os seres que, neste instante, praticam actos de amor no mundo, ou têm um olhar de ternura sobre a terra que nos cerca, sobre a criação. Isto mantém o mundo de pé.”

domingo, 12 de dezembro de 2010

BOA SEMANA!



"Viver bem é consumir-se, é queimar os carvões do tempo que nos constitui. Somos feitos de tempo e isso significa: Somos passagem, movimento sem trégua, finitude. A quota da eternidade que nos cabe está encravada no tempo. É preciso garimpá-la com incessante coragem, para que o gosto do seu ouro possa fulgir em nosso lábio. Se isso acontece, somos alegres e bons e a nossa vida tem sentido."
                                                        Hélio Pellegrino

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Interligação (II)



 
“Para dominar o universo natural, o homem ocidental separou-se dele. Esta atitude heróica, agressiva e dominadora em relação ao ambiente é bem ilustrada, por exemplo, pela arte dos jardins clássicos em que a natureza é submetida, deformada, violada, reduzida e talhada de modo a tornar-se inteiramente concordante com uma geometria e um desenho impostos pelo homem. Numa tal perspectiva, rigorosamente antropocêntrica, as formas e os motivos naturais, não elaborados pela mão do homem, e cuja misteriosa complexidade não reflecte a de nenhum cérebro, adquirem automaticamente algo de ameaçador.”
                                                                                                      Simon Leys
 
Um dos campos em que a interligação se manifesta com maior nitidez é o da blogosfera. O post “Paga o justo pelo pecador” do blogue INESCREVER é revelador. Neste post, o texto belíssimo Rainer Maria Rilke faz-nos reflectir sobre a interconexão existente entre o homem e a natureza.
Com medo do poder da natureza e por avidez optámos por dominá-la. As consequências estão à vista: Poluição, acidentes climáticos, desflorestação, crises alimentares, doenças…
Tudo nos convoca para uma mudança, para uma reconciliação.
Em vez de nos consagrarmos unicamente à busca de soluções técnicas para poluir menos, devemos reflectir profundamente na nossa interdependência numa mesma “CASA”. A mudança, para a qual somos convocados, exige um alargamento da nossa consciência individual e colectiva. Como nos diz Marie Romanens: “Uma escuta atenta de si e do outro, um questionamento profundo dos nossos actos, da nossa forma de ser numa relação, de nos alimentarmos, de consumirmos e ocuparmos o lazer”.
Marie Romanens interpela-nos com os seguintes convites:
- Recusar a lógica da separação ao investir em laços mais humanos com os nossos próximos, estrangeiros e natureza.
- Reconhecer a natureza como o espelho das nossas almas – imergirmo-nos regularmente nela, para nos sentirmos plenamente (re)ligados e responsáveis pelo seu futuro.
- Descobrir o prazer de ser – investir em domínios que solicitem a nossa criatividade, singularidade.
- Potencializar, o mais possível, os nossos talentos na família, trabalho, amigos ou associações.
Convites a “viver de uma forma mais humana, mais responsável, mais alegre”, com um sentido que, por vezes, tanta falta nos faz.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Interligação (I)



"O bater de asas de uma borboleta no Brasil pode causar um tornado no Texas."
               Edward Lorenz

"Quando arranco uma erva, estremeço o mundo nas suas fundações."
              Provérbio tibetano

Lembrar-nos do poder do infinitamente pequeno consciencializa-nos para a responsabilidade acrescida de cada um dos nossos gestos, por menor que nos possa parecer. 
Pequenas alterações em sistemas dinâmicos podem ter enormes impactos, pois o resultado final é fruto de acções interligadas. Na acunpultura, a ponta de uma agulha, colocada no lugar certo, pode curar o orgão ou todo o corpo; na Bolsa, uma pequena flutuação num mercado pode afectar muitos outros; no clima, qualquer alteração numa das variáveis atmosféricas, pode provocar grandes mudanças. Por isso, quando agirmos, seja em que sentido for, lembremo-nos que tudo (e todos) está interligado e que o mais pequeno dos actos, de cada um, não se reflecte unicamente na vida do seu autor, mas na vida de todos nós. Para o bem e para o mal. A escolha está nas mãos de cada um.

                     Nota: Este post é dedicado aos alunos do 11º E2 e 11º E1 da ESM.


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

BOA SEMANA!

"Nenhum pessimista descobriu o segredo das estrelas, ou navegou por mares desconhecidos, ou abriu uma porta ao espírito humano."
                                                                                        
                                                                      Hellen Keller

Não desistir



“Muitos dos fracassos da vida acontecem a pessoas que não se apercebem do quão próximo estiveram do sucesso antes de desistirem.”
                                                                                                              Thomas Edison

“Todas as setas que acertam em cheio no alvo são o resultado de cem disparos ao lado.” Viver implica riscos, estes, por sua vez, implicam escolhas e estas implicam erros. É a aprendizagem que decorre dos nossos erros que nos permite conquistar os nossos sonhos. Como nos diz Lucy MacDonald, no seu livro “Aprenda a ser optimista”, há que aceitar o fracasso, acreditar que  se conseguirá da próxima vez, não pensar que o fracasso é qualquer coisa de pessoal (“o génio é 1% de inspiração, 99% de transpiração”), aprender com os erros, procurar o sucesso dentro do fracasso. Perguntas que deve fazer a si mesmo:
- O que tentei concretizar?
- Porque não resultou?
- Serei capaz de identificar alguns aspectos bem sucedidos desta experiência?
- Que lições aprendi?
- O que farei de  diferente da próxima vez?

sábado, 4 de dezembro de 2010

Um concurso inspirador

 “A escola deve servir para mudar o mundo no bom sentido, não para perpetuar os erros. A escola precisa de inspiração e de inspirar.” 
                                                                                                              Manuela Araújo


Vamos participar no concurso “Melhorar o Mundo na Escola” lançado nos blogues Sustentabilidade é Acção e Famalicão por um Mundo Melhor
 Acreditamos firmemente que para ter futuro é preciso construí-lo e, antes disso, sonhá-lo. A construção de um Novo Mundo está  nas realidades que sonhamos e ousamos acreditar. Acreditamos que as escolas são os mundos que dão asas ao Mundo. Vamos voar?

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Talentos

 
                               Turner
      
        “Adormeci e sonhei que a vida era alegria.
        Acordei e vi que a vida era serviço.
       Agi e vi que servir era alegria.”
                                                Rabindranath Tagore

 “No lugar onde o talento se encontra com as necessidades do mundo, reside a vocação do homem.”
                                                                                 Aristóteles

Fomos contemplados com inúmeros talentos e cada um de nós tem, pelo menos, um talento especial para oferecer aos outros.
Deveríamos ter sempre presente que há alguma coisa específica que sabemos fazer melhor do que ninguém e que a devemos expressar na ajuda a outros seres humanos.
Focalizar-nos naquilo que temos de especial e perguntar-nos diariamente: “Como posso ajudar?” é o alicerce da nossa construção como seres humanos, da construção de um mundo total, pleno de sabedoria e amor.

Nota: Unindo-nos à nossa amiga Zilda Cardoso e a tantos outros amigos, dedicamos este post a Laurinda Alves que faz hoje anos e cujos talentos nos têm sido generosamente oferecidos. Muitos parabéns Laurinda!