Follow by Email

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Humor

“O dia mais mal gasto de todos é aquele em que não nos rimos”
                                                                                       S. Chamfort
  
“O riso é o caminho mais directo entre duas pessoas.”
                                                                      C. Chaplin

Sabiam que um minuto de riso equivale a 45 de relaxamento? O humor torna-nos a vida mais fácil. Está provado que quem ri é mais produtivo, mais criativo, mais comunicativo, toma decisões mais rapidamente e não tem tanta propensão para a doença, pois o riso fortifica o sistema imunológico e liberta endorfinas que combatem a dor. Um minuto de riso equivale a quarenta e cinco de relaxamento e dez minutos de riso incontido baixam as dores físicas durante, pelo menos, duas horas.
Como nos diz Helena Marujo: Com humor a comunicação melhora, a aceitação mútua cresce, a frustração tem um encaminhamento mais adequado.
Não há dúvida que, mesmo entre estranhos, uma gargalhada em conjunto abre as portas do entendimento.
Vale a pena adicionar algumas boas gargalhadas ao que fazemos quotidianamente e encarar a vida com mais humor. 
Para terminar a tarde deixamo-vos as "Leis de Murphy" que não sendo propriamente optimistas, nem tampouco suscitem grandes gargalhadas, retratam muito do nosso quotidiano que, sem dúvida, está carregadinho de humor.



5 comentários:

  1. Sei da importância do bom humor de tal maneira que, apesar de não andar para risos, tenho preparado, para postar, um artigo que me mandaram por mail e que fará as mulheres darem boas risadas. Que achou da coincidência? Pois é, além disso tenho o meu filho que é super optimista, bem disposto e para ele tudo tem solução; senti muito a falta dele quando se casou, pois ele sozinho enchia a casa. O meu marido também é assim; não é que os dois não sofram, mas enfrentam o sofrimento de outra maneira e nunca perdem o sono. Sinto que sou uma pessoa com humor e gosto muito de rir; na passagem de ano dei boas gargalhadas com o grupo que me acompanhou e voltei para casa de alma lavada, como se costuma dizer. O video está muito interessante e, de facto, tudo acontece assim mesmo, por isso o melhor é aprender a relativizar o que nos acontece; como se costuma dizer..." um mal nunca vem só.. e a propósito disso vou-lhe contar uma coisa; acho que já tinha dito que a minha filha foi passar o Natal com os avós; ela não anda bem, já há muito; lá também não andou e, para piorar as coisas, uma das malas dela extraviou-se; claro, trazia nela tudo o que recebeu e as lembrancinhas que com muito carinho comprou para os amigos; se estava mal, pior ficou; ela chegou dia 3; hoje a tap telefonou e a mala foi entregue; logo hoje, dia em que ela resolveu aceitar ajuda para recuperar a cor dos seus dias. Só o facto de ter tido coragem para pedir ajuda e de a termos procurado imediatamente a deixou melhor e logo de seguida a mala aparece; não sei...mas parece que a esperança atrai boas energias. Um beijinho e...esperem-me, pois aqui estarei sempre aprendendo a reconstruir o meu optimismo.
    Emília

    ResponderExcluir
  2. Até chegar à #39 pensava: "este senhor foi pai, de certeza"; nessa tive a confirmação!!!
    Estou de pleno acordo com muitas, especialmente com a #39, mas desejosa que a #40 não seja verdade!!!
    Quanto à #75: é a razão porque só tomo chuveiros (além de se gastar menos água!).
    Já as #81 e #85 são a razão porque sou optimista!

    Boa escolha "meninas"!!! Realmente, não é propriamente optimista, mas dá-se umas gargalhadinhas!

    Bom fim-de-semana!

    ResponderExcluir
  3. Emília
    "O pessimista vê dificuldades em todas as oportunidades e o optimista vê oportunidades em todas as dificuldades."
    O optimismo é realmente uma história de confiança, de esperança. E as boas energias vêm por acréscimo, sim. Porque a sua filha acreditou, porque arriscou, porque perseverou, o Universo ajudou. E é assim que a humanidade avança: Não com ruminações pessimistas e sim com o esforço de pessoas persistentes. Obrigada Emília por mais este testemunho. UM ABRAÇO

    ResponderExcluir
  4. Sónia
    Hahh! Só podia mesmo ser pai :)
    Também estou plenamente de acordo com a #39. Quanto à #40 não é verdade Sónia, garanto-te pela experiência. Tenho dois filhos com 18 e 20 anos, respectivamente, e durmo maravilhosamente. Creio que só depende de nós.
    Obrigada Sónia pela forma como tudo observaste e pelas palavras que nos deixas. Uma excelente semana para ti!

    ResponderExcluir
  5. VIVA!
    É sempre bom ouvir vozes de esperança! ;-)

    Ou não andem os 2 (a esperança e o optimismo) de mão dada!

    ResponderExcluir