Follow by Email

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O nosso melhor brinquedo

"A mente é um lugar em si mesma. Pode fazer do céu um inferno e do inferno um céu."
John Milton


http://www.ted.com/talks/paul_bloom_the_origins_of_pleasure.html

"O nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: Nele se encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade."
Charles Chaplin

"Um dia, no princípio dos tempos, alguns demónios reuniram-se para fazer uma diabrura. Um deles disse: “Estava a pensar que poderíamos tirar algo aos humanos, porém... O quê?”
Depois de muito pensar, um deles respondeu: “Já sei!, poderíamos tirar-lhes a felicidade... Porém, claro, o problema será onde escondê-la, para que não possam encontrá-la”.
Propôs o primeiro demónio: "Vamos escondê-la em cima do monte mais alto do mundo...!”
...do que imediatamente discordou um outro: “Não, lembra-te que eles têm força e vontade. Algum dia, alguém poderá subir e encontrá-la, e se um a encontra, pronto! Todos saberão onde está".
Logo propôs outro: "Então, vamos escondê-la no fundo do mar!”.
E outro contestou: "Não, lembra-te que eles têm curiosidade. Algum dia, alguém construirá algum aparelho para poder baixar até o fundo e, então, encontra-la-á".
Um outro deles disse: "Escondamo-la num planeta longe da Terra!".
Disseram-lhe: "Não, lembra-te que eles têm inteligência. Um dia, alguém construirá uma nave para viajar para outros planetas e, então, descobri-la-ão".

Um dos demónios tinha permanecido em silêncio, escutando atentamente as propostas.

Então, disse: "Creio saber onde devemos colocá-la para que nunca a encontrem". Todos o olharam e perguntaram ao mesmo tempo: “Onde?".
“Escondamo-la DENTRO deles mesmos... Estarão tão ocupados a procurá-la fora que nunca a encontrarão".

Todos ficaram de acordo e, desde então, sempre tem sido assim."

Autor desconhecido

3 comentários:

  1. Ouvi o video com muita atenção e penso que consegui apanhar o suficiente para o entender; já ontem estive aqui a comentar, mas não sei o que aconteceu com o blogger que não me deixou comentar com a conta google. Vamos ver se hoje dá certo. Na realidade o poder da nossa mente é enorme, mas nós nem sempre temos consciência disso; se tivessemos, usariamos essa força para nos libertarmos de certas pressões exercidas sobre nós e que nos influenciam em todos os aspectos; somos capazes de tudo, basta querermos, basta convencermo-nos de que, com força de vontade, podemos mudar. Todos os dias somos bombardeados por conceitos, por marcas, por modismos e pela fama de determinadas pessoas; isso nos impede que observemos uma pintura, que escutemos uma bela melodia, que degustemos um bom vinho por exemplo só pelo simples prazer que isso nos proporciona, sem nos importarmos com o autor, o produtor, com a fama, com a moda; isso era o que menos deveria importar, mas infelizmente por vezes é o que mais interessa. Deveríamos usar a nossa força para conseguirmos separar as coisas e vermos o que é essencial o que realmente importa que é o nosso gosto, que é o prazer que sentimos ao ouvir, ao observar, ao saborear todas as maravilhas que a vida nos oferece.Se soubessemos usar esse poder que a nossa mente tem não viveriamos aprisionados a esses conceitos que muitas vezes nos dão aquele" status " e não o prazer de que necessitamos; procurar aquilo de que realmente gostamos é o caminho para que nos sintamos bem, para que sejamos mais felizes e isso só depende de nós, só depende da nossa força de vontade, só depende da nossa convicção de que com a força da nossa mente conseguiremos tudo o que quisermos. Não é nada fácil convencermo-nos de que é sempre nosso e só nosso o poder de escolha, eu sei,mas é essa a realidade; ninguém o fará por nós. Como sempre, Teresa, um tema interessantíssimo que nos leva a refletir. Devemos ACREDITAR sempre nas nossas capacidades e devemos também procurar tudo aquilo que nos proporcione pequenos prazeres, que nos agrade simplesmente pois é isso que torna os nossos dias mais coloridos; o resto é assessório, como se costuma dizer. Obrigada e um belo Domingo. Beijinhos
    Emília

    ResponderExcluir
  2. "A mente é fonte de toda a experiência e, mudando a direcção da mente, podemos mudar a qualidade de tudo o que experimentamos. Quando transformamos a nossa mente, tudo o que experimentamos é transformado. É como pôr uns óculos amarelos. De súbito, tudo o que vemos é amarelo. Se pusermos uns óculos verdes, tudo o que vemos é verde. (...)
    Queimar um dedo, levar uma injecção, ou ficar preso num engarrafamento, num dia quente, num carro sem ar condicionado seriam considerados fisicamente desagradáveis. Todavia, na realidade, o facto de experimentarmos estas coisas como dolorosas ou agradáveis não depende das sensações físicas em si mesmas, mas da percepção que temos delas."
    Yongey Mingyur Rinpoche

    Emília
    Incrível,mesmo, esta nossa mente que nem sabemos exactamente em que parte do corpo fica, ou que aspecto tem, ou como funciona. Mas sabemos que é o aspecto mais importante da nossa natureza. Sempre presente e activa. E sabemos, também, que ela é o maestro da bela sinfonia que pode ser a nossa vida. Mas... há tantos obstáculos: os nossos conceitos, as nossas ideias sobre a verdade, as nossas aflições, os nossos medos, a nossa arrogância...
    Achei muito interessante este vídeo porque fez uma abordagem um pouquinho diferente àquelas a que estou habituada relativamente à forma como percepcionamos certas coisas. E depois resolvi associà-lo à estória sobre o esconderijo da felicidade que já estou para postar há algum tempo.
    E tudo isto daria para tantas reflexões, não é, Emília? Só posso agradecer-lhe muito a sua que também faço minha.Tenham as nossas mentes o poder de encontrar a sua natureza primordial e, enfim, a leveza da felicidade. Um grande abraço, amiga, e... BOA SEMANA!
    Teresa

    ResponderExcluir
  3. Porque é que o terceiro demónio tinha que ser tão inteligente?
    Mas agora que já sabemos onde está graças à vossa partilha, é só abrirmos o coração para dar com ela! :-)
    Boa semana!

    ResponderExcluir