Follow by Email

sábado, 30 de outubro de 2010

Porque acreditamos



“ Crise financeira, degradação do emprego, dos alicerces sociais… Parece que todas as condições estão reunidas para que se multipliquem as ondas de violência e as derivas autoritárias. Apesar dos confrontos e tensões, destes últimos meses, tocou-me o aspecto pacifista dos movimentos sociais e a sua grande criatividade. Talvez aspiremos, neste início do século XXI, tornarmo-nos sujeitos positivos do nosso futuro. A emergência da consciência ecológica põe em causa o individualismo destas últimas décadas. Uma percentagem crescente da população explora uma nova arte de viver, com a vontade assumida de transformar a sociedade, começando por se transformar a si própria. Voltar a dar valor ao ser mais do que ao ter, à cooperação mais do que à competição, à preservação mais do que à destruição da natureza, esta mudança de paradigma está na origem de inovações em todos os domínios: eco construção, agro ecologia, economia solidária e social… O grande desafio, hoje, é ligar todas estas iniciativas para que a lógica da solidariedade venha a substituir a lógica da exclusão. Podemos aprender a transformarmo-nos num reservatório de amor.”
                                                                              Patirck Viveret (adaptado)

Porque acreditamos na força dos pequenos gestos e na ligação de todos nós para a construção de um mundo melhor, unimos as nossas vozes às da Marta, Manuela e tantas, tantas outras.

2 comentários:

  1. Obrigada pela referência e continuação de bom trabalho :)

    ResponderExcluir
  2. Nós é que agradecemos a sua presença e ânimo que transmite. Muito obrigada!

    ResponderExcluir