Follow by Email

domingo, 3 de março de 2013

Optimismo trágico - Viktor Frankl



“Há só uma coisa que eu temo: Não ser digno dos meus sofrimentos.”
Dostoiévski 
(citado por Viktor Frankl em O Homem em busca de Sentido)

“A vida significa, em última instância, assumir a responsabilidade de encontrar a resposta adequada aos seus problemas e ultrapassar os desafios que constantemente apresenta a cada indivíduo (…)
O que importa não é o sentido da vida, em geral, mas antes o sentido específico da vida para uma pessoa num dado momento (…)
Numa palavra, cada pessoa é questionada pela vida; e à vida cada um pode apenas responder sendo responsável.”
Viktor Frankl, O Homem em Busca de um Sentido


O conceito de “optimismo trágico”, criado por Viktor Frankl, remete-nos para a questão: Como é possível dizer sim à vida, apesar de tudo?
Pode a vida reter o seu potencial de sentido apesar da dor, da culpa, da morte?
A força da resposta a esta questão reside na própria vida de Viktor Frankl: é no meio do sofrimento que ele, não somente descobre os seus próprios recursos de sobrevivência e superação, como também a base teórica para o desenvolvimento da “terapia do sentido da vida”.
Dizer sim à vida, apesar de tudo, subentende que a vida tem potencialmente significado em qualquer circunstância, mesmo nas mais miseráveis. Tal, pressupõe:
(1) Transformar o sofrimento em realização e aperfeiçoamento humano.
(2) Retirar da culpa a oportunidade de nos mudarmos para melhor.
(3) Retirar da transitoriedade da vida um incentivo para levar a cabo ações responsáveis.
Como referimos aqui, Viktor Frankl apresenta-nos três vias que nos conduzem ao sentido da vida:
 (1) Criando um trabalho ou realizando um feito notável,  ao sentir-se responsável por terminar um trabalho que depende fundamentalmente dos seus conhecimentos ou da sua acção.
 (2) Experimentando um valor, algo novo, ou estabelecendo um novo relacionamento pessoal. Este é também o caso de uma pessoa que está consciente da responsabilidade que tem em relação a alguém que a ama e espera por ela.
 (3) Adoptando uma atitude em relação a um sofrimento inevitável, com a consciência de que a vida ainda espera muito da nossa contribuição para com os demais.
A mais importante é a 3ª via: mesmo a vítima indefesa de uma situação irremediável, colocada ante um destino que não pode mudar, pode erguer-se acima de si mesma, pode crescer para além de si mesma e, desse modo, mudar quem é. Pode transformar uma tragédia pessoal numa vitória.
Viktor Frankl não só sobreviveu a horrores inimagináveis, como também soube dar “sentido” ao seu sofrimento, transformando-o numa vida plena sentido e ajudando-nos a crescer em consciência e responsabilidade. O seu livro O Homem em Busca de um Sentido escrito em 1946, continua a ser um dos mais influentes de sempre. A sua mensagem perdura e dá-nos força para enfrentar as adversidades e permanecer optimista, apesar de tudo. 

Nota: Relembramos, ainda, este texto maravilhoso de Anselmo Borges.

Nenhum comentário:

Postar um comentário