Follow by Email

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Histórias de vida - Kim Phuc



A fotografia de Kim Phuc é a imagem símbolo da Guerra do Vietname: uma menina que corre nua, com o corpo em chamas, entre outras crianças, numa estrada nos arredores de Saigão. Essa menina tem hoje 47 anos, decidiu que nunca abdicaria do seu direito à vida e dirige uma fundação que procura transmitir às crianças a crença na superação de dores profundas e obstáculos aparentemente inultrapassáveis.
A 8 de Junho de 1972 Kim Phuc refugiara-se num templo da pequena povoação Thang Bang. O ruído dos aviões, que sobrevoaram a povoação, assustou o grupo de que fazia parte Kim Phuc, levando-o a deixar o templo. Ao abandonarem o templo foram atacados, na estrada, por bombas naplam. Dois dos irmãos de Kim tiveram morte imediata. A sobrevivência de Kim Phuc deveu-se ao fotógrafo indonésio Nick Ut que fixou o momento em que a pequena vietnamita estava com o corpo em chamas. Com queimaduras de terceiro grau e o queixo preso ao peito por cicatrizes da carne e músculos queimados, Kim foi sujeita a 17 intervenções cirúrgicas em dois anos. Apesar da cirurgia reconstrutiva, as suas costas são representativas da dor crónica a que está condenada a conviver até ao fim da sua vida.
Demasiado tarde para prosseguir medicina, Kim Phuc optou por farmacologia. Em Havana conheceu o seu marido, outro estudante de informática vietnamita. Numa escala para reabastecimento num aeroporto entre Moscovo e Havana, saíram do avião e pediram asilo político no Canadá começando, assim, uma nova etapa da sua vida.
Em 1997 foi nomeada embaixadora de boa vontade da UNESCO e criou a Fundação Kim Phuc para apoio às crianças filhas da guerra, como ela. A hipótese de um mundo novo, um caminho de perdão, uma abertura para a felicidade…


2 comentários:

  1. A imagem dessa menina ficará para sempre na memória das pessoas que a viram. Pena que de pouco sirvam as fotos que saíram e continuam a sair pois as guerras continuam e a fugir continuam também muitas crianças. O ser humano não aprende! Pena! Um beijinho e obrigada pela homenagem a esta SENHORA.
    Emília

    ResponderExcluir
  2. Quanto aos selos, amigas, penso o mesmo e por isso sempre publico os que me oferecem; já está no começar de novo há dias e indiquei blogs que relmente aprecio e aos quais reconheço valor. Muito obrigada pela atençaõ dada ao nosso blog. Beijinhos
    Emília

    ResponderExcluir