Follow by Email

sábado, 24 de novembro de 2012

A importância do quotidiano


“Que dádiva de vida fui capaz de oferecer hoje?
Que palavra, que olhar, que sorriso, que gesto, que disponibilidade, que conforto, ofereci, recebi, revelei?
...........
Quem, no dia-a-dia, aceita o desafio de dar, àquele que encontra, o sentimento de enriquecer a sua vida, de embelezar o seu olhar, de ouvir a sua palavra, de se sentir mais amável e mais presente? Quem ousa criar o projeto de se aceitar melhor, de ser capaz de se fazer amado e amar a todo o momento, tornando-se, assim, um semeador de vida?
Jacques Salomé



A nossa tendência, quando nos perguntam sobre a nossa vida, é a de nos centrarmos em datas que representam grandes acontecimentos, algo extraordinário. E no entanto, se pensarmos bem, os grandes acontecimentos contam-se pelos dedos. O que preenche verdadeiramente a nossa vida não são os grandes acontecimentos, mas os pequenos gestos, as dádivas de cada dia. É o quotidiano que nos revela e transporta para algo maior. Saibamos acolher, em consciência, os pequenos acontecimentos, aquilo que nos embeleza o olhar e a alma, a cada momento. E no final de cada dia perguntemo-nos:
“Sorri? Dei? Ajudei? Amei? Admirei? Ao menos uma vez? Ao menos um pouco?”
 

2 comentários:

  1. Esta entrada tem tudo a haver com a que a Ana colocou no Reinventar: esse polícia brasileiro faz do seu quotidiano uma dádiva constante! :-)

    Sejamos todos mais assim! :-D

    Beijinhos,
    Sónia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem tudo a ver, mesmo. Fantástico aquele polícia, um exemplo para todos nós. Beijinhos para ti também e obrigada por toda a tua gentileza. Muito.

      Excluir