Follow by Email

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

"Procurem as soluções no interior"



É já conhecida a história de Barefoot College (a Universidade dos Pés Descalços), um dos mais poderosos, inovadores e criativos projetos do nosso tempo. Retomamo-la aqui pelo quanto nos inspira e alicerça o nosso acreditar na força dos ideais.
No subcontinente indiano, como noutros continentes, existem pessoas que vivem com dois dólares por dia, ou menos. Em Portugal existem 2 milhões de pessoas com sete euros por dia que, no nosso meio, correspondem praticamente ao mesmo, mas estas pessoas têm acesso á eletricidade, água, alfabetização, cuidados de saúde, apoio social mínimo… Em muitos lugares da Ásia, África, América, nada disto existe, somando-se, ainda, a privação de muitos direitos, nomeadamente das mulheres, e a discriminação.
Não ficar de braços cruzados perante esta realidade, acreditar que cada um dos nossos atos é importante para que ela mude, é o caminho que nos aponta Bunker Roy. 
Roy fundou, em 1972, o Centro de Investigação e Trabalho Social, primeira pedra do Barefoot College. O programa foi ampliado até se tornar o que é hoje, um dos maiores centros de pesquisa, inovação e educação no trabalho com a pobreza. 
O BC formou mais de 3 milhões de pessoas no mundo, engenheiros, médicos, empreiteiros, arquitetos, professores, tecelões, pedreiros, ferreiros, técnicos de comunicações, cozinheiros, operários. Todos os graduados desta faculdade eram analfabetos, ou semianalfabetos, quase todos eram mulheres oprimidas e idosas. Mulheres sem direitos ou afastadas do controle  das suas vidas são hoje líderes de projetos. E criaram sistemas de energia solar onde não havia luz elétrica, construíram sistemas de rega, casas e fundaram escolas onde ensinam outras mulheres. O BC criou um programa de educação noturna para crianças (que não podem frequentar a escola diurna). Estas crianças auto organizam-se segundo as regras democráticas e revelam os bons resultados da transferência de responsabilidades tradicionalmente atribuídas a adultos. 
Sim, uma ideia pode mudar o mundo, o ser humano supera-se a cada momento… Procuremos as soluções no nosso interior e escutemos as pessoas que têm as soluções diante de nós. "Elas estão em todo o mundo."

2 comentários:

  1. Querida amiga

    Uma coisa é certa:
    Sempre podemos mais
    do que acreditamos.
    Fico a pensar como
    o mundo seria bom
    se vivêssemos com o suficiente.
    Nem mais...
    Nem menos...
    O que sobrasse dos nossos ganhos,
    deveria ser gasto com a melhoria
    de vida de todos.
    Repartido como bem de toda
    a humanidade,
    e das outras formas de vida
    igualmente importantes.

    Assim, realmente faríamos justiça
    aos nossos conceitos
    de inteligência e humanidade.

    Que em teu coração,
    a alegria faça morada...

    ResponderExcluir
  2. Sempre podemos mais, sim, Aluísio, e seria lindo o mundo tal como o idealiza. Não importa que seja uma utopia: É ela que nos leva a caminhar, não é mesmo? Em alegria caminho consigo, meu amigo. Um grande e grato abraço pelo quanto nos acolhe.

    ResponderExcluir